100 anos de história das picapes Ford
14 agosto

100 anos de história das picapes Ford

A Ford comemora 100 anos de liderança e inovação no
segmento de picapes. A data é celebrada hoje (27 de julho) com uma
história que começou com o lançamento do Ford TT em 1917 e continua
com as atuais linhas Ranger e Série F, incluindo a F-150, picape mais
vendida do mundo. Nascida da visão do fundador da empresa, Henry Ford,
de criar um veículo comercial com chassi reforçado e espaço para
carga na traseira, a primeira picape foi derivada do lendário Modelo T,
que mudou a indústria automotiva e a própria natureza do trabalho.

 Hoje, as picapes Ford estão entre os veículos mais emblemáticos da
marca. A Série F é a picape mais vendida nos Estados Unidos há 40
anos consecutivos e o veículo mais vendido do mercado há 35 anos, com
mais de 26 milhões de unidades. A Ranger está presente em centenas
países, inclusive o Brasil onde tem longa tradição.

 A história de picapes da Ford é marcada pelo desenvolvimento de
contínuas inovações. Uma referência mundial em desempenho,
segurança, eficiência, economia e conforto desses veículos, sempre
ouvindo os consumidores que fazem uso das picapes para o trabalho, o dia
a dia e o lazer em todo o mundo.

 

 

 

 

 

 

 

 

NASCE UMA LENDA

 Nove anos depois do lançamento do primeiro Modelo T, os consumidores
queriam um veículo com maior capacidade de carga para uso em serviço e
entregas. Em 27 de julho de 1917, a Ford respondeu com o Modelo TT, com
o mesmo motor e cabine do Modelo T, mas com um chassi mais pesado capaz
de transportar uma tonelada de carga útil. Com preço de fábrica de
US$600, vendeu 209 unidades naquele ano.

 Como no trator Fordson (lançado para a agricultura em 1917), Henry
Ford imaginou um chassi capaz de acomodar diferentes caçambas e
implementos fornecidos por terceiros, aumentando a versatilidade para o
trabalho. Foi uma fórmula de sucesso: a Ford vendeu 1,3 milhão de
Modelos TT até 1928, quando ele foi substitído pelo Modelo AA com
chassi de 1,5 tonelada.

 Henry Ford vendia suas picapes principalmente em áreas rurais. “As
picapes modelo AA, em particular, foram muito bem aceitas por esses
clientes, que podiam usá-las tanto na fazenda como para ir à igreja no
domingo”, destaca Bob Kreipke, historiador da Ford.

 Como o Modelo TT, o Modelo AA era oferecido apenas como chassi-cabine,
em dois comprimentos, com motor e eixo de maior capacidade. O segmento
se tornou altamente competitivo e a Ford substituiu o Modelo AA pelo
Modelo BB em 1933, usado em aplicações como veículo de entrega,
transporte de animais e ambulância. Dois anos depois, a Ford introduziu
o Modelo 50, equipado com seu famoso motor V8 Flathead.

 Em 1941, a Ford vendeu mais de 4 milhões de picapes. A mudança da
produção devido à guerra reduziu as vendas para os consumidores, mas
trouxe um ganho de experiência na construção de picapes militares
pesadas e 4×4 para transporte de pessoal. Um ano depois da retomada da
produção para os consumidores, em 1947, a Ford aproveitou esse
conhecimento para oferecer mais inovações aos clientes.

 “Após a guerra, muitos americanos das áreas rurais se mudaram para
centros urbanos e suburbanos procurando trabalho, e muitos levaram suas
picapes Ford com eles”, diz Kreipke. “A Ford viu isso como uma
oportunidade e começou a trabalhar numa nova geração de picapes em
1948, que ficou conhecida como Série F ‘Bonus Built’”.

 Esta primeira geração da Séria F ia da F-1 de meia tonelada à
picape F-8 muito maior. Com a chegada da Série F de segunda geração
em 1953, a Ford aumentou a capacidade e potência do motor e renomeou a
linha. A F-1 tornou-se F-100 e as picapes F-2 e F-3 foram integradas na
nova F-250. F-4 tornou-se F-350. As picapes Classe 8 formaram uma nova
unidade de picapes comerciais, que trouxe as famosas picapes Séries C,
H, L, N, T e W da Ford.

 Ao longo desse período, as picapes da Ford começaram a parecer menos
utilitárias, com pintura em dois tons, transmissão automática e
sistemas aprimorados de climatização e rádio. A F-100 1953 introduziu
novos itens de série como apoios de braço, luzes de cabine e
quebra-sol. Com cabine mais baixa e mais larga, a nova picape tinha
para-choques dianteiros integrados e design mais aerodinâmico.

 Em 1957, a Ford estreou uma picape baseada em automóvel – a Falcon
Ranchero. Anunciado como “Mais que um carro! Mais que uma picape!”,
ela trouxe confortos de carro para os consumidores.

RAÇA FORTE

 Em 1961 – 44 anos após o Modelo TT – a Ford introduziu a quarta
geração da Série F. Mais baixa e elegante, estreou a revolucionária
suspensão dianteira “twin-I-beam” da marca. O pacote Ranger de luxo
surgiu em 1967, enfatizando o conforto e durabilidade, com direção e
freios hidráulicos e chassi de perfil menor. A versão com cabine
estendida SuperCab introduzida em 1974 trazia bancos mais confortáveis
​​para uso profissional e familiar.

 Com a chegada da Série F de sexta geração, em 1975, a Ford
substituiu a popular F-100 pela F-150, com maior capacidade para
combater as picapes C/K da General Motors. Em 1977, a Série F assumiu a
liderança de vendas que, 26 milhões de picapes depois, a Ford não
perdeu mais.

 Mais que veículos de trabalho, as picapes estavam se tornando
rapidamente veículos familiares universais, segundo Kreipke. Em vez de
alugar uma picape para um serviço ou reboque, as pessoas agora
possuíam esses veículos para trabalhar e viajar com a família no fim
de semana. As picapes da Ford se adaptaram à mudança do estilo de vida
americano, mais ativo.

 Versões especiais, como o pacote Lariat introduzido em 1978, ofereciam
mais recursos de conforto, como ar-condicionado, bancos de couro, travas
e vidros elétricos. Em 1982, a Ford lançou a Ranger, uma picape média
totalmente nova. Versátil e eficiente, a Ranger rapidamente criou
reputação de veículo robusto e capaz, fazendo sucesso em diversos
mercados ao redor do mundo, incluindo o Brasil. Agora, depois de um
período de sete anos, a Ranger será relançada na América do Norte em
2019.

F-150 E RANGER

 Em 1998, a Ford lançou a Série F Super Duty, para serviço pesado. E
expandiu a linha com novos pacotes de acabamento e tecnologia, como King
Ranch, Platinum e Limited, trazendo bancos premium de couro, multimídia
SYNC com navegação, teto solar, bancos aquecidos e maior capacidade de
carga.

 Os motores também evoluíram. A tecnologia de motor V6 EcoBoost
estreou em 2011, com novo patamar de potência e economia. A F-150 2015
introduziu a carroceria de liga de alumínio de alta resistência, de
nível militar, estendida depois às picapes Super Duty 2017.

 A inovação continuou no segmento de picapes especiais, com as
versões F-150 Harley-Davidson, SVT Lightning e Raptor – a primeira
picape off-road de um grande fabricante inspirada nas corridas do
deserto. A F-150 Raptor 2017 de segunda geração tem hoje motor V6
EcoBoost de mais de 450 cv, transmissão de 10 velocidades e um
exclusivo sistema de gerenciamento de terreno, com diferencial e caixa
de transferência e eletrônica.

 Líder na Europa, a Ranger é uma referência em picapes médias. A sua
presença na América do Sul é formada pelos modelos 2.2 e 3.2 Diesel e
2.5 Flex, com sete airbags, controles de estabilidade, tração e
enticapotamento, sistema multimídia SYNC e outras tecnologias
avançadas.

Fonte: Imprensa Ford

Fotos: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *